Você está em: HOME / FAQ

Compartilhe:

FAQ


Veja uma lista de dúvidas frequentes sobre obesidade e cirurgia bariátrica e metabólica. 

 

Quais os convênios e planos são atendidos no Centro?

Entre em contato com nosso atendimento pelo telefone (11) 3044.1568 ou e-mail para saber qual a cobertura do seu plano.

 

O que é Obesidade Mórbida?

É quando um indivíduo atinge um Índice de Massa Corpórea igual ou superior a 35 Kg/m2 com comorbidades ou 40 Kg/m2 ou mais, sem comorbidades.

 

O que significa comorbidade?

A condição de obesidade severa está associada a um grande número de doenças. Alguns desses problemas são causas de morte precoce como a doença das artérias coronárias (infarto), o diabetes tipo II, as dificuldades respiratórias do obeso (apneia do sono), o risco aumentado de embolia pulmonar por alterações da coagulação sanguínea, entre outros. Existem também problemas que podem estar presentes como doenças articulares graves dos membros inferiores e até mesmo um risco aumentado para alguns tipos de câncer (útero, mama, intestino grosso).

Estima-se que o risco de morte prematura de pessoas severamente obesas é 12 vezes maior quando comparado com não obesas na faixa etária dos 25 aos 34 anos.

 

Quais são os tratamentos para a obesidade?

Há inúmeros programas que visam a redução do peso, os quais incluem supervisão nutricional, programas de modificação comportamentais psiquiátricos, dietas, medicamentos para redução do apetite e o uso do balão intragástrico. 

  

O que é Índice de Massa Corpórea?

É o peso (em Kg) dividido pela altura ao quadrado do paciente (em M). Calcule o seu.

 

O que é a Cirurgia Bariátrica ou da Obesidade?

É um procedimento cirúrgico que tem por objetivo proporcionar e manter uma perda importante de peso que, somado a um programa de mudança comportamental, vislumbra o controle da obesidade mórbida e suas consequências.

 

Qual o tratamento mais adequado?

Não existe o tratamento mais indicado. Tudo depende da avaliação médica e da existência de comorbidades. Os casos precisam ser avaliados individualmente entre o paciente e médico. Os tratamentos recomendados, no entanto, são sempre os minimamente invasivos, por proporcionarem menos tempo de recuperação, menos dor e menos riscos de complicações.

 

A cirurgia bariátrica é reversível?

Em geral, sim, com exceção da gastrectomia vertical e o duodenal switch. Mesmo assim, a reversão da cirurgia é complicada, oferece riscos ao paciente e só é recomendada em casos extremos, em que o paciente desenvolver uma doença não associada, como câncer ou AIDS.

 

Vou poder comer como antes, mas sem engordar?

Não. Fazer a cirurgia não significa que o paciente não voltará a engordar se continuar com os mesmos hábitos anteriores a ela. A cirurgia não é apenas estética, mas o paciente passa por uma mudança de vida e de comportamento ao qual ele tem que estar plenamente ciente antes de se submeter ao procedimento.

 

Qual o perigo de me submeter a técnicas não regulamentadas?

No Brasil existem quatro técnicas regulamentadas pela Resolução nº 1.942/2010 do Conselho Federal de Medicina (CFM). Se submeter ao tratamento com profissionais que não praticam práticas regulamentadas é se expor a riscos desnecessários de complicações e, em casos extremos, de morte. As técnicas regulamentadas passaram por anos de pesquisas e perfis de segurança e eficácia.

 

Como escolher um bom cirurgião bariátrico?

Os profissionais precisam estar devidamente atualizados e apoiados nas sociedades médicas que regulamentam a especialidade. O site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica tem a lista de todos os cirurgiões credenciados.

 

O paciente que vai se submeter à cirurgia deve parar de fumar e de beber?

É recomendável pelos médicos para diminuir complicações pós-operatória, em qualquer tipo de cirurgia, inclusive na bariátrica. A nicotina prejudica a cicatrização da pele, o que pode levar à infecção. As bebidas alcoólicas agridem mucosas do estômago, intestino e reduzem a absorção de nutrientes. Nos primeiros 6 meses devem ser evitadas.

 

O que é o dumping?

O Dumping acontece o paciente tem taquicardia, tontura, sudorese e diarreia depois de comer ou beber algo. Isso pode acontecer com qualquer operado, principalmente se o alimento for muito calórico ou gorduroso. Por isso, devem ser evitados.

  

Por que ocorrem queda de cabelo intensa e unhas quebradiças depois da cirurgia?

Podem ocorrer e durar cerca de quatro meses nos casos dos pacientes operados. Isso porque queda de cabelo e unhas quebradiças são sintomas comuns durante qualquer processo de emagrecimento: cirúrgico, por dieta ou em decorrência de doenças como o câncer. O acompanhamento multiprofissional é importante para detectar a carência de determinadas vitaminas que contribuem para essa queda.

 

Quais as possíveis complicações durante e após a cirurgia?

Raramente a cirurgia gera complicações como infecções, tromboembolismo ou hérnias se for feita em um hospital seguro, com a estrutura adequada. O mais comum é haver falta de nutrientes devido à baixa ingestão de alimentos e ser necessária a suplementação vitamínica, às vezes por longos períodos.

 

Mulheres podem engravidar depois da cirurgia?

Sim, mas é recomendado aguardar pelo menos 18 meses após a cirurgia, além de um acompanhamento pré-natal criterioso e o acompanhamento nutricional para evitar carência de vitaminas.

 


Copyright © 2010 São Luiz - Todos os direitos reservados

Produzido por CONNEXION NET